quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Co-sleeping: o tema da controversa

... este é, sem dúvida, o tema da grande controversa... sim ou não ao co-sleeping?

... pessoalmente, eu digo SIM... sempre o fiz, e ainda o faço, e adoro fazê-lo! Na altura em que supostamente a criança deveria ir para o quarto dela, a pediatra perguntava sempre se já tínhamos efetuado a mudança... as pessoas também iam perguntando... havia uma espécie de pressão por parte dos outros, que faziam com que começássemos a agir de acordo com o que os outros queriam... a dada altura, confesso que comecei a ficar nervosa com isso... e como mãe de primeira viagem, acabamos sempre por dar demasiada atenção ao que os outros falam e, a verdade é que, devemos é de nos deixar levar pelo nosso instinto, mas pronto, lá fui "na conversa" dos outros e lá o mudamos para o quarto dele...

... apesar do menino não estranhar o local, até dormia bem, principalmente as primeiras horas, o resto da noite era complicado... ele acordava imensas vezes durante a noite, ainda estava a ser amamentado, o que o levava a querer a mama quando despertava... eram horas "perdidas" a tentar sossegá-lo, o que resultava num cansaço extremo para os dois... cansaço este desnecessário...

... num altura em que muito se fala em praticar ou não o co-sleeping, penso que nunca é demais partilharmos as nossas experiências e mostrar que não há mal nenhum em dormirmos com os nossos filhos e/ou partilhar o mesmo quarto, isso não fará deles uns frustrados ou uns ressabiados... conheço muita gente que dormiu com os pais, no mesmo quarto {até porque não tinham outro quarto} e não são piores ou melhores do que os outros...

... Há muita vergonha em dizer que "sim, ele dorme no nosso quarto!", mas porquê? Não vejo o mal nisso,  não entendo a razão de tanto alarido à volta dessa prática... devemos, obviamente, ter os cuidados básicos para com o bem-estar do bebé, nomeadamente, ter cuidado para não o magoar durante a noite, não o deixar sozinho.... mas isso todos temos, independentemente de dormir ou não connosco... aliás, vários estudos demonstram que esta prática transmite mais segurança à criança, cria um laço mais forte entre mãe e filho... 

... sei que fui e sou "criticada" por muita gente, que não vê com bons olhos esta prática, que é apologista de que eles devem dormir no quarto deles, na cama deles, o quanto antes... eu não penso assim, o Gonçalo dormiu muitas vezes connosco quando era mais bebé, e como disse, continua a dormir {principalmente, nesta altura mais fria}, e não vejo problema nisso...

... o essencial nisso é encontramos a nossa harmonia familiar, que inevitavelmente não será igual à do vizinho, do primo ou da tia... na nossa casa e nos nossos filhos mandamos nós e dentro das nossas quatro paredes as decisões são nossas e penso que é nisso que nos devemos focar em qualquer decisão... agora, que já passaram 18 meses de ser mãe, consigo {infelizmente, não tanto quanto gostaria} tomar as minhas decisões e decidir aquilo que acho o mais correto para o meu filho e para a minha família...

... Co-slepping: sim ou não?  TU é que decides!!!




Sem comentários: