sábado, 16 de fevereiro de 2019

"Brincando" com as emoções ♡

Hoje, as emoções deram cor aos beijinhos
                               Oficina Kids. 

Muito bom. Como sempre. ♡






Obrigada I.M. pelo registo ♡

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Amar ♡

Hoje, celebra-se o Amor. O calendário assim o dita. 

Hoje, por onde quer que se olhe, vemos corações. Na rádio, só se ouve "Feliz dias dos Namorados". As redes sociais estão inundadas de casais apaixonados. Apregoa-se o amor aos sete ventos. 

Hoje é o meu terceiro Dia dos Namorados sem o meu. E, hoje... está a ser o mais difícil de enfrentar.

Não deveria ser. Afinal, é o terceiro. "Uma pessoa habitua-se". Mas, não. Não nos habituamos. A ausência será sempre colossal, mesmo que, na maioria dos dias, vai-se vivendo "melhor". 

Hoje, quando fui ao cemitério, não pude deixar de constatar que estavam algumas mulheres, de rosas na mão, a caminhar para junto do local onde repousam os seus namorados. Namorados estes já de longa data. Todas essas mulheres já tinham uma idade avançada. Eu era a mais nova. Bem mais nova. Mas estávamos lá todas com o mesmo intuito. Lembrar o nosso amor. Recordá-lo. Manter vivo aquilo que nos une. Passe o tempo que passar. 

A determinada altura, uma senhora pergunta a outra "Também vens namorar?". Achei aquilo tão bonito. Tão genuíno. Tão real. E apesar das lágrimas me escorrerem pelo rosto, apesar dessa dor inexplicável, também eu tinha lá ido com o mesmo propósito. O Amor

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Educar com MindFulneSs ↬

Educar é uma tarefa árdua. As queixas dos pais perante as birras dos filhos é a prova de que educar um filho requer muito de nós. Muita paciência. Tempo. Disposição.  E, num mundo acelerado como o nosso, cuidar de um filho {ou dois, três...} nem sempre é fácil. 

Acredito que, a partir do momento em que aceitamos que as birras fazem parte do desenvolvimento dos nossos filhos, que são uma forma que eles têm de manifestar que algo não está bem, as coisas podem começar a fluir naturalmente. Claro que há dias em que estamos com mais paciência e até corre bem, e temos outros em que nem os podemos ouvir. Claro. Como tudo na vida, nada é linear. Há altos e baixos. E é importante sabermos viver nesta montanha russa que é a vida [muito mais vertiginosa depois de se ser mãe/pai] de forma consciente. 

Tenho lido o livro Educar com mindfulness, e cada vez mais, percebo a importância dos pais estarem bem para poderem transmitir essa tranquilidade aos filhos. Termos consciência de que os nossos filhos são um todo e não representam "a" birra, "o "mau" comportamento. 

Num dos capítulos do livro, a autora coloca a questão, que muitas vezes também nos colocamos:
"Porque se porta mal o meu filho?"

Muitas vezes {demasiadas vezes, até}, colocamos o nosso foco no "como" e esquecemo-nos do "porquê". Há muito a necessidade de encontrar o como resolver a birra, e não procuramos saber o porquê da birra.

O Gonçalo, por norma, faz uma soberba birra, ao final do dia. Fica chato, aborrece-se com tudo. E, claro o primeiro pensamento que surge é "como vou parar isso?". Mas, a verdade é que, nessa altura, essa questão em nada ajuda {muito pelo contrário}, porque o foco deveria estar direcionado para o "porquê" daquela birra. E, aí é muito simples. Ele está cansado, já não faz a sesta de tarde, por isso, tem sono e só quer é regressar a casa. Geralmente, até adormece no carro. Lá está a razão da "birra". Sono. 

Muitas outras situações acontecem em que já vou percebendo as razões por detrás daquelas manifestações, e já nem me chateio muito. Porque, efetivamente, há sempre uma razão. Eles não berram porque sim.

E aqui é que o nosso papel é fundamental. Aprender a adotar uma parentalidade consciente em relação às necessidades dos nossos filhos é uma ferramenta importante para que o comportamento deles também mude. 

O Mindfulness é uma arma poderosa em vários domínios da nossa vida. E na educação ajuda a tornar o processo {muitas vezes} difícil de educar um filho num momento mais sereno, em que descomplicar é a palavra-chave... aliás, como tudo na vida ღ



segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

A brincar...

No sábado passado, descobrimos uma nova forma de nos divertirmos aprendendo novas habilidades, novas atividades. 

A Oficina KIDS oferece um agradável momento de aprendizagem repleto de exercícios que estimulam a capacidade cognitiva, bem como a motricidade, desenvolvendo competências essenciais para o desenvolvimento infantil. A sessão abrange os diversos domínios da aprendizagem, o que torna a dinâmica divertida e enriquecedora. 

É tão bom ver que, cada vez mais, existem iniciativas direcionadas para o desenvolvimento infantil, que oferecem uma diversidade de atividades que ajudam na estimulação ao mesmo tempo que permitem à criança divertir-se e socializar.

O Gonçalo adorou e já está ansioso pela próxima sessão! ♡










terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Ler é o melhor remédio*

Quem me segue há algum tempo sabe a minha paixão pelos livros. Adoro ler. Apaixono-me facilmente por um bom livro. 

Inicialmente, sentia necessidade de absorver tudo o que estivesse ligado ao luto. À perda. Precisava de saber mais sobre esta nova realidade que, agora, também passou a ser a minha realidade. Ajudou-me imenso. Aprendi muito, mas aprendi, essencialmente, a saber aceitar. Uma aceitação lenta, mas assertiva.

O interesse pelos temas vai alterando conforme o meu estado de espírito e tenho vindo a descobrir uma certa curiosidade sobre livros de desenvolvimento pessoal

Os temas ligados ao mindfulness, à meditação, à introspeção têm recheado a minha biblioteca pessoal. Livros que nos transmitem uma mensagem. Que nos deixem com a sensação de conseguir ver aquela luzinha ao fundo do túnel.

Esses livros têm ajudado a encarar as adversidades com outra perspectiva. Reduzem os meus níveis de stress. Permitem-me ter maior concentração. E, sobretudo, permitem-me "desligar" de todo o que me rodeia. É uma espécie de "bolha". O meu "analgésico" para me reconectar no que é verdadeiramente importante. Procurando manter o foco num dos meus desejos para este ano: ser a melhor versão de mim mesma.

Assim, vou tentar partilhar as minhas leituras. As aprendizagens retiradas de cada uma delas. 

Sugerindo que também dediquem um pouco do vosso dia na leitura de um livro que vos traga a serenidade de que precisam. 

Em breve, partilharei as minhas leituras mais marcantes ♡



domingo, 20 de janeiro de 2019

Resumo da nossa semana*

Há semanas mais complicadas do que outras. Aquelas que nos deixam sem fôlego, com aquela dor de cabeça a latejar todo o dia. Aquelas semanas em que temos de ser {ainda} mais fortes, porque as circunstâncias assim o exigem.

Foi uma semana marcada pelo cansaço... pelas noites mal dormidas... pela tosse, febre e muito ranho... pela ida para o hospital de ambulância... pela clara sensação da ausência da minha metade... pela saudade ainda mais marcada por não ter ao meu lado o meu olhar seguro, a palavra certa, o meu abraço de reconforto.

Há semanas mais complicadas do que outras. A nossa foi assim, mas com a certeza de que depois da tempestade, vem a bonança ... e hoje, aproveitamos que o sol espreitou para respirar fundo, passear, brincar e agradecer. Agradecer sempre... porque, como diz o Gonçalo "já passou". ♡






domingo, 6 de janeiro de 2019

Somos energia ♡

Tudo é energia. As pessoas. O mundo. A própria vida move-se através de energia. E, nem nos apercebemos disso. 

Quantas vezes depois de conversar com determinada pessoa ficamos esgotados, desanimados e até mesmo angustiados? Mas, tal não acontece com outras, com as quais sentimos entusiasmo e alegria. 

Nem sempre pensamos nisso, mas, de facto, existem pessoas que nos sugam as energias. Que nos deixam emocionalmente cansados. E, existem outras que nos injectam uma dose de alegria, de ânimo, de força. 

Tudo se resume a energia. E é importante termos essa consciência para começarmos a fazer uma melhor triagem de quem queremos, realmente, na nossa vida. Viver em constante contacto com pessoas pessimistas, queixosas só nos trará a mesma energia. Pensemos naquela típica conversa das  nossas avós, em que uma queixa-se de dores nas costas, e a outra remata logo com fortes dores nos joelhos, ao que a primeira frisa que não pode com dores no estômago, mas a segunda deixa bem claro que isso não é nada face às dores nas articulações.

Há ali uma carga energética negativa que se desenrola como um novelo de lã. Pode até tornar-se um hábito perigoso o de ter sempre algo para queixar-se.   

É fugir dessas pessoas. Eu confesso que tento ao máximo afastar-me desse género de pessoas. Mas, claro, na impossibilidade de fugir, é ter a capacidade para fazer "ouvidos moucos" ao que dizem, alienar-se dessa energia negativa e, sobretudo, não alimentar a conversa. 

Mas, obviamente que nem sempre é fácil ficarmos calados ou não nos deixarmos afetar por essa carga negativa. Para isso, é preciso que também nós tenhamos feito um trabalho interior que nos possibilite manter a nossa mente imperturbável, porque todos sabemos que os pensamentos são tramados. Se lhe dermos espaço, eles consomem-nos em dois tempos.

Controlar os meus pensamentos é dos exercícios mais difíceis pelos quais tenho passado. Faço mesmo um esforço para afastar aqueles pensamentos que sei que não me trarão felicidade, que sei que alimentam o meu pessimismo. 

No livro "O poder da energia positiva", de Sara Cardoso, a autora refere {e bem} que muito do nosso "lixo energético" tem origem em nós próprios, através dos nossos pensamentos, e que é fundamental estarmos atentos, pois se alimentarmos pensamentos e sentimentos negativos corremos o risco de ficarmos energicamente debilitados.

O livro é riquíssimo em aprendizagens que nos alertam para a importância de estarmos de bem conosco para pudermos estar bem com os outros. É curioso que, se dedicarmos um tempinho do nosso dia a observar as conversas, as atitudes, os comportamentos da maioria das pessoas, tudo centra-se em constantes queixas... ora está muito frio, está muito calor, ora estou farta de trabalhar, ora não tenho trabalho, ora o miúdo está insuportável... há sempre algo que não nos agrada. 

Com isso não quero dizer que também eu não tenha as minhas queixas. Claro que também tenho dias em que dou por mim a queixar-me mais do que devia. E é aí que entra aquele exercício de controlar os pensamentos e focar-me em ver o copo meio cheio. Vou procurando não me deixar afetar pelos meus dramas pessoais para os quais não tenho solução. Vou tentando desfrutar do lado bom das situações e, sobretudo, manter no meu núcleo rígido aqueles que me vão transmitindo energia boa. Energia do bem. Energia positiva que me possa permitir ter uma vida mais harmoniosa. 

Há um exemplo no livro que achei interessante "Se plantar tomates irá colher tomates e se plantar morangos irá colher morangos. Todos sabemos que é impossível plantar tomates e colher morangos! Da mesma forma, não podemos ficar à espera de plantar pensamentos negativos e colher resultados positivos."

Vale a pena pensar nisso ✩

Resultado de imagem para o poder da energia positiva

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

(Re)começar ↬

A vida é feita de ciclos. De fases. De etapas. Com o fim de 2018, inicia-se mais 365 novas oportunidades. Novas aventuras. Novos desafios.

É tempo de retomar a rotina. De ver o dia a nascer. De encontrar novos aconchegos. De apostar em novas ideias. Novas perspetivas.

É tempo de encher o peito de esperança. De mudar a nossa atitude perante os desafios. De fazer diferente, quando sentimos que já não faz sentido. E, sobretudo, de manter o foco no que nos faz feliz. 

Este ano inicia-se com mais um desafio, mas também com a certeza de que seremos {e faremos por ser} felizes... apesar dos "apesares" ♡


Bora descobrir o mundo, meu pintainho  ♡

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

O pote da gratidão

Em 2018, desafiei-me a escrever num papel acontecimentos aos quais fosse grata, enchendo um pote.. o chamado Pote da Gratidão... um exercício que me levaria a ver o copo meio cheio... que me conduziria a ser mais agradecida à vida...

Com o fim de mais um ano é tempo de abrir o pote da gratidão e ler o que fui acrescentando ao longo do meu ano... confesso que não fui {nada} assídua... não escrevi tanto quanto gostaria, o que não é sinónimo de não ter o que agradecer... há sempre uma lado positivo... mais não seja, a aprendizagem que advém de determinado acontecimento... 

Ao reler o que escrevi em 2018, reconheço {mais uma vez} que estou rodeada de pessoas-luz... de muito amor... de muita gratidão...

Este ano, comprometi-me ao mesmo exercício... 
e já coloquei o meu primeiro agradecimento ♡

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

2018

O fim de um ano vem, inevitavelmente, associado a um momento de retrospeção. Do que foi vivido ao longo deste ano, do que foi alcançado e do que ainda ficou por atingir.

É, também, tempo de agradecer as vitórias alcançadas, as metas concluídas, os desafios ultrapassados.

Este meu 2018 foi rico em aprendizagens, em autoconhecimento, em crescimento pessoal. Aprendi a descomplicar mais. A não me massacrar quando não consigo dar conta do recado. Aprendi a não levar a vida demasiado a sério. A aproveitar mais o momento. A saborear as pequenas coisas. A desvalorizar aqueles comentários que em nada acrescentam à minha vida. Aprendi a valorizar-me mais. E a reconhecer o meu valor como pessoa, como mãe, como mulher. Aprendi que sou bem mais forte do que aquilo que julgava. 

Em 2018, consegui ultrapassar novos desafios... dei voz à minha história no programa da Júlia, na SIC... vencemos o prémio da melhor fotografia do pré-escolar com uma foto tirada pelo Jorge...  aproveitamos muito as idas ao parque... fortaleci amizades... tornei as minhas segundas em momentos especiais... consegui ler mais... escrevi mais no blogue...e consegui atingir, e ultrapassar, os 900 seguidores no Facebook {Obrigada a todos ♡}... meditei, pela primeira vez... aprendi a descomplicar mais... e , sobretudo, aprendi a aceitar... não só a partida do Jorge, como os diversos desafios que foram surgindo ao longo da minha vida... 

Aceitar a vida como ela é... sem grandes interrogações... aceitá-la e vivê-la... simplesmente!

Que este 2018 tenha sido generoso para convosco 
e que 2019 venha repleto de boas energias...
 muita saúde e amor... o resto a gente resolve!

Bom ano 2019 

domingo, 30 de dezembro de 2018

2 anos*

O calendário pode marcar que já se passaram dois anos. O tempo pode correr veloz. A vida pode mudar constantemente... mas o que é verdadeiro permanece intacto... e o meu amor por ti, este, não se altera em nada. 

Continuas e, continuarás, a ser o grande amor da minha vida... mesmo que não te veja, que não te sinta, que não te toque... 

A certeza de termos vivido uma linda história de amor reconforta o meu coração, que se enche de alegria ao ver no nosso filho cada traço teu... o teu jeito de correr e balançar os braços para trás... os teus dedos grandes e delgados... a tua genuinidade para com os outros... o sentimento de lealdade por quem nos ama... o altruísmo... o sorriso fácil e rasgado, cujos olhos quase desaparecem... até mesmo o rabo pequenino em comparação com a barriga mais proeminente... muito de ti está nele... e isso, deixa-me tão grata!

Hoje é um dia triste... um dia marcado pela tua partida, há dois anos. Um dia em que me senti tão sozinha, como nunca tinha sentido. Um dia em que senti que fiquei desamparada no meio de tanta gente. Aquele dia, que sempre pensamos que aconteceria quando seriamos bem velhinhos. 

Esta noite foi mais difícil de dormir, as recordações atropelam-se na minha cabeça. Senti o amargo da solidão. As lágrimas lá teimavam em dar ar de sua graça, mas depois senti a mão quentinha do nosso filho e sorri porque o melhor de nós está ali... bem ao meu lado, e quase que o ouvia a dizer "Não chora, mamã!", e obriguei-me a dormir, a afugentar esses pensamentos e a encarar este dia como encaro todos os outros, há dois anos... com coragem e determinação, porque este é só mais um em que a saudade aperta, corroí, vive bem cravada em mim.... como uma segunda pele.... hoje, só estás a ser mais recordado do que o habitual, porque para mim, para o Gonçalo fazes parte de nós... todos os dias!!!

Amamos-te daqui até aí!!!


segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Feliz Natal ❣

Diz a Alice: Quanto tempo dura o eterno?
Coelho: Às vezes apenas um segundo!
(Alice no País das Maravilhas)

Aproveitemos todos os segundos eternos das nossas vidas!

FELIZ NATAL!


Foto: Estúdios 44

domingo, 23 de dezembro de 2018

O nosso amor ❥

Amar um filho é das melhores sensações do mundo. Antes de começar esta aventura que é a maternidade, dificilmente chegaria a ter essa percepção do que é amar um filho. Ouvimos os relatos dos nossos amigos pais, e pensamos o quão deve ser avassalador amar alguém. Pensamos, em segredo, que talvez esteja a exagera assim um bocadinho, talvez não seja assim tãooo como dizem... até ao dia em que... comprovamos que, de facto, é grandioso o amor que se pode ter por um pequeno ser. O nosso pequeno ser. 

O nosso amor é o reflexo do que somos. É genuíno. Divertido. Espontâneo. Gigante. E quando uma fotografia reflete o que sentimos dá neste lindo registo.

Nós somos isto (o tempo todo)