quinta-feira, 28 de abril de 2016

As delícias da maternidade #52

O MEU parto

Como referi neste post, hoje venho falar do MEU parto, escrevi MEU com maiúsculas para realçar que cada parto é único, especial e diferente, tal como nós o somos... apenas partilho convosco a minha experiência, talvez ajude algumas mães  a manter a calma perante as adversidades que possamos encontrar neste momento, acima de tudo, mágico...

Ora, no dia 14 de julho era mais um dia de consulta no hospital, mais um dia de exames... à urina, tensão arterial, o "toque" {bergl, só de pensar} e o exame de cardiotocrafia {penso que é este o nome} ou vulgarmente conhecido pelas cintas... estava de 39 semanas e 5 dias...

... no decorrer do exame "das cintas", verificou-se que o ritmo cardíaco do menino estava instável, na eventualidade de eu puder estar fome, visto estar há algum tempo sem comer, decidiram pôr-me a soro, e também para ver se o menino estabilizava... mas, nada acontecia neste sentido... andei nisso algum tempo até que a médica de serviço {uma simpatia... NOT}, decidiu provocar o parto... só de ouvir essas palavras, fiquei nervosa... primeiro porque algo de errado deveria estar a acontecer, e depois porque tomei consciência de que É AGORA!!

Lá fui assinar os papéis necessários para o internamento, o marido foi buscar as malas ao carro e... começou a aventura... estava deitadinha a ver tv, enquanto monitorizavam os batimentos cardíacos do menino... a dada altura, veio uma enfermeira dizer que tinha de me meter qualquer coisita LÁ para começar a induzir o parto.. bora lá, uma pessoa começa a habituar-se a este ritual... a verdade é que nada de dilatação {tinha 3cm}, nada de dores, poucas contrações... o menino tinha períodos em que estava bem, mas outros que nos deixavam em alerta... andei nisso até as 20h, mais ou menos... o marido teve de ir para casa e eu lá fiquei a aguardar...

... a dada altura, a situação começou a piorar e comecei a ver muita gente no quarto, num entre e sai, e lá teve de ser a médica a fazer a rutura da bolsa {nada simpático isso}... a partir daí, as dores aumentaram, e depois de colocarem ocitocina no soro, ó meus amigos, nem é bom... começaram as contrações a sério... lembrei-me de como fazíamos a respiração nas aulas {benditas aulas} e fui mantendo a calma possível...

... as coisas pareciam não estar muito bem, tive de estar com a máscara de oxigénio e, lá apareceram não sei quantas pessoas no quarto com a médica a informar que iam fazer uma cesariana... confesso que nem pensei direito nas coisas, estava meia atordoada...

.... lá fui para o bloco, enquanto estava a ser preparada para a cirurgia, iam-me fazendo perguntas e de repente dizem-me "Até já mamã!"... e apaguei!

... acordei num sala com um enfermeiro a olhar para mim, a perguntar se me estava a sentir bem e, algum tempo depois lá fui para o quarto... bombardeei as enfermeiras com perguntas sobre o meu filho, o meu marido... sim, o coitado estava desde as dez da noite à espera {eram prai duas da manhã, quando saí do bloco, o menino nasceu às 00h15... imaginem a seca que o homem apanhou} de entrar para assistir ao parto e ninguém foi avisá-lo...

...quando cheguei ao quarto, enviei-lhe uma mensagem e pouco tempo depois já estávamos os três juntos... confesso que não consegui saborear este momento como idealizei... estava cansada, atordoada... não me lembro de mais nada dessa noite.. quem tratou do menino, quem o alimentou... nada!

... o MEU parto não foi, sem dúvida, a mais belas das histórias, mas apesar dessas adversidades todas, acabou tudo bem... estávamos os dois bem, eu cansada, ele com o ritmo cardíaco normalizado... tinha tido uma bradicardia fetal!

Depois da tempestade, vem a bonança, já dizia o provérbio popular!

Futuras mamãs, não entrem em stress por causa do parto, tudo se resolve... o importante é tentar estar o mais serenas possível, porque a aventura ainda só agora começou... 😉

Sem comentários: