terça-feira, 2 de agosto de 2016

A consulta dos 2 anos

O Gonçalo foi, ontem, à consulta dos 2 anos e confirma-se que é uma rapaz esbelto, que engorda pouco, mas cresce bem... nada de preocupante, segundo a médica, visto ele ser bastante ativo.. também, alertou para o facto do aumento de peso, nesta fase, ser menos notório do que quando era bebé...

Nesta consulta, a enfermeira falou dos cuidados a ter em casa com o menino... visto estar mais independente, mais ativo, mais curioso é preciso ter muito atenção com as tomadas, os produtos de limpeza, os medicamentos... ter cuidado com tudo o que está ao alcance dele, porque, nesta fase, 26352 mil olhos nunca são suficientes perante a capacidade de nos surpreender!

Também falou no desfralde, que já está na altura de tratar disso, mas sinceramente, não acho que ele esteja minimamente preparado para esta nova etapa... já acorda algumas vezes com a fralda seca, o que a enfermeira considerou bastante positivo, mas não o vejo com maturidade suficiente para iniciar o desfralde... com o tempo, sem pressões!

Outro assunto abordado foi a linguagem, visto que o Gonçalo não fala praticamente nada... a enfermeira considera-o um pouco preguiçoso, aconselhou-nos a não lhe dar as coisas sem que ele se esforce para as ter... isso já nós fazemos, quando quer água, perguntamos várias vezes "o que queres? Queres água? Ora, diz á-gu-a!!"... repetimos isso algumas vezes, mas não vamos passar o dia nisso que a criança ainda desidrata à espera da dita água!!

Basicamente, a consulta serviu para referir alguns aspetos que já sabíamos, mas que no dia a dia nem sempre é assim tão fácil de pôr em prática... as enfermeiras dos centros de saúde têm um questionário que tem de ser preenchido e que, acaba por generalizar a criança, que é um ser individual e, por isso, diferente de A ou B... o perguntar "Ele faz isso?", "Ele faz aquilo?" e ver que determinado item não teve o "sim" é coisa para me deixar com a pálpebra a tremelicar... mas pronto, a vida é mesmo assim, e a minha já me habituou a ter de enfrentar algumas adversidades... por isso, é continuar com a mesma postura, educar, estimular, ensinar, mas sem pressões, porque afinal, cada criança é diferente, cada criança tem o seu ritmo



Sem comentários: