terça-feira, 13 de setembro de 2016

Estaremos a ficar menos tolerante?

Tropecei, por mero acaso, num post do apresentador da RTP Jorge Gabriel, no Facebook, cujo título é "Somos um país sem paciência para crianças?" e decidi clicar para ler, porque fiquei curiosa por saber qual seria a opinião dele, embora já desconfiasse da resposta... porque efetivamente, somos um país com pouca paciência para crianças... aliás, com pouca paciência para tudo, não só para os berros e birras dos miúdos, mas também para as coisas mais banais do dia a dia, basta andar de carro e demorar meio segundo a arrancar no semáforo, que já temos uma sinfonia de buzinas a ribombar atrás de nós...

Somos um país cada vez menos tolerante, é um facto! Toleramos cada vez menos os outros, e pior, andamos a tolerar cada vez menos os nossos filhos... e o dos outros então!

Basta estarmos num local público e uma criança começar a chorar ou a fazer uma birra, que já temos 5326 olhares reprovadores a atingir-nos como balas... e esta pressão social exercida sobre nós acaba por ditar {mesmo que inconscientemente} os nossos comportamentos e atitudes para com os nossos filhos! Sinceramente, não é coisa que me incomode muito, se o meu filho chorar em público, paciência!! É uma criança e se chora é porque algo o incomoda e não é aos berros que irei resolver isso...

Sei que não sou a pessoa mais paciente do mundo, mas tento sempre manter uma postura zen... Ele não tem culpa dos meus problemas, e não quero de  todo ter um comportamento menos tolerante com ele, só porque o meu dia correu mal...se, por vezes, sinto que fui mais ríspida com ele sem razão que o justifique, confesso que me desdobro em pedidos de desculpas... nunca fui apologista de bater ou de gritar... não me lembro dos meus pais o terem feito comigo e, talvez por aí, não goste nada de palmadas ou berros... claro que sempre que necessário chamo-o a atenção, mas tento não perder "as estribeiras", prefiro conversar com ele, mesmo que saiba que ele até nem me possa estar a perceber, mas sei que isso é o mais acertado, acredito nisso, quero acreditar que isso fará dele um cidadão mais justo, porque a violência gera sempre violência e se levantamos a mão ao nosso filho, ele poderá ter {instintivamente} a mesma reação e adotar essa atitude para com os outros... essa a minha forma de ver as coisas e espero nunca mudar essa minha forma de pensar...

Quero ser a mãe paciente que sempre fui até agora e educar o meu filho na base da conversa, da partilha e do respeito... acredito que este é o caminho certo e dar o bom exemplo é fundamental, até porque eles absorvem tudo e devemos ter cuidado com o que fazemos e dizemos!

Voltando à questão inicial: Estamos a ficar menos tolerante? Sim, estamos, mas só cabe a nós mudar isso!!

1 comentário:

[B] disse...

Completamente de acordo. Não sou mãe, mas quanto ao resto concordo em absoluto. Cada vez temos menos paciência para tudo e todos... Triste :(
Beijinhos