quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A tua força!

"Percam 38 minutos e 4 segundos" do vosso dia para ver esta entrevista e começarão a dar mais valor à vida, às pequenas coisas do dia a dia, a quem temos ao nosso lado... porque o que é hoje, pode já não o ser amanhã:


Revejo-te muito nesta entrevista... a tua força nesta luta, a tua forma de encarar a doença... positivo, otimista... nunca escondeste a tua doença, partilhavas fotos das tuas sessões de quimioterapia nas redes sociais, davas forças a quem estava na mesma situação do que tu...

Apesar de saberes que estavas muito doente, de teres consciência que, provavelmente, morrerias da doença {nunca esquecerei o dia em que me disseste isso}, nunca deixaste de viver a vida... continuaste a andar de mota {que chamavas de "anti-stress"}, de  ir ao ginásio,  de ir buscar o menino à creche, levá-lo ao parque, brincar com ele, andar com ele às cavalitas, de me mimares, de me dares na cabeça porque tinha de ir "fazer as unhas" ou porque as sapatilhas estavam sujas, de participar em iniciativa de solidariedade, inclusive numa iniciativa de Luta Contra o Cancro... nunca fizeste da tua doença o centro das atenções... continuaste a ser o que sempre foste!

Claro que, por vezes, te deixavas ir mais abaixo... os tratamentos agressivos, os resultados menos bons... mas, mesmo nestas alturas, ficavas mais sossegado uns dias, e lá ias, novamente, dar "o corpo às balas" {como dizias...}

A doença não conseguiu roubar-te isso, porque TU não deixaste... porque foste mais forte do que ela... venceu-te, mas deste-lhe luta!!

És a prova de que o ser humano pode ser tão belo, tão genuíno, tão especial... o meu coração transborda de saudades tuas... a cada dia que passa, a saudade aumenta... nunca pensei que seria tão difícil viver sem ti... dói, destrói, massacra... mas, como falava ontem uma recente amiga {penso que posso te tratar assim, por amiga? Mais uma vez, obrigada por partilhares a tua vida comigo, F. 💓}, tive o privilégio de te conhecer, de te amar e de ser amada, de casar contigo, de ter um filho teu, de ter imensas boas recordações da nossa vida a dois... e a três... Amo-te hoje e sempre, morzinho!!!


5 comentários:

susana disse...

É bom ler te, é tao bom ouvir o teu desabafo e hoje...Que bela surpresa! Ao ler sobretudo as tuas últimas palavras e costatar que conseguiste alcançar um estádio que poucos conseguem... Apesar da dor e da enorme saudade sabes que o J. foi teu, que esses momentos nunca ninguém os roubará e que aquilo que vocês viveram, é vosso e tao vosso que permanecerá para sempre guardado... Foi real, aconteceu mesmo e a ti! Foi pouco, mas foi teu... ❤

Ju disse...

<3 e foi tão especial <3

Unknown disse...

Não me conheces, apesar de eu ser da família...família que o destino e a vida vai separando. Sou prima do Jorge, crescemos com pouco contacto, mas vou tendo noticias de todos, e as noticias menos boas chegam depressa.E foi com grande tristeza que soube da doença do meu primo, foi com grande dor que vi a minha tia a chorar em desespero pela doença do filho. Mas partiu-me o coração no dia em que fui a vossa casa despedir-me do Jorge. Como pode uma família tão feliz com um rebento para criar ver-se despojada de um dos membros? Quando vi tantos momentos felizes registados nas fotos que me foi possível observar, retirei-me sem coragem de te dar uma palavra.
Não sabia o que dizer a uma mulher que se mostrou forte e que viu a doença levar-lhe o marido, a uma mãe que vai ter que manter no filho a lembrança de um pai...
Desculpa colocar este texto aqui, mas se desejares podes apagar.
Ao ler o teu texto chorei, chorei por saber que a saudade doí...e que só com o passar do tempo vai doendo menos um bocadinho.
Mas as boas recordações vão ajudando e isso tu tens.
Força, coragem e vive um dia de cada vez com a família que te é próxima e amigos chegados, que me pareceu serem bons.

Prima Linda

Ju disse...

Obrigada pelas palavras de carinho, prima!

Bjinhos**

Mamã Iogurte disse...

Emocionei-me com essa entrevista. Continuo a emocionar-me. Obrigada pela partilha. Grande abraço.