segunda-feira, 5 de junho de 2017

Ver-te feliz e a sorrir enche o meu coração e alimenta a minha alma, meu amor maior 


Obrigo-me a sair de casa e a proporcionar-te o que de bom a vida nos oferece... participo em tudo o que posso para que nos esqueçamos {por momentos} que a nossa família está resumida a dois... vamos a piscina, vamos à música, vamos ao shopping, vamos às festas... faço tudo para que não caía na terrível {e possível} depressão de não ter a minha metade... 

Sei que poderá soar estranho querer estar presente em atividades lúdicas, em que há cor, música, família, riso... vida! Parece até masoquismo da minha parte, saber que vou ver famílias felizes e mesmo assim ir.... pode parecer precipitado sair de casa rumo a um evento em que vai haver música e diversão... afinal perdi o meu marido há 5 meses... mas, vou... porque sei que o Jorge não gostava de me ver fechada em casa, não gostava de me ver triste, nem a "bater mal do quinto piso" {como dizia}!

Vou... vou de sorriso no rosto, mas a fazer um esforço descomunal para não largar em prantos...

Ontem, levei o Gonçalo a um evento promovido pela Junta de Freguesia, especialmente pensado para as crianças... podia não ter ido, mas fui... 

Ele adorou, apesar das atividades estarem mais direcionada para os mais crescidos... não imaginam a quantidade de vezes que pensei no Jorge, a quantidade de vezes que o "vi", não imaginam quantas vezes tive de respirar fundo... mas, pus o meu mais belo sorriso e estive lá, porque o meu filho merece mais do que estar fechado em casa com a mãe a chorar pelos cantos... porque, sim, tenho dias assim, em que disfarço as lágrimas para ele não as ver ou me refugio numa outra divisão da casa, para que não perceba que estou triste... 

Se estou a  100% em tudo o que faço? Isso não, não consigo! Vou estando, vou tentando.. talvez um dia... enquanto este dia não chega, vai se vivendo com a percentagem necessária para não afundar de vez! 








Dia da Criança na freguesia**

Sem comentários: