quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

O sentido da Vida ღ

Há dias, li o post da Ana Garcia Martins, autora do blog A Pipoca mais Doce, acerca do seu aniversário e das suas inqueitações existenciais... e dei por mim a pensar nisso também... 

Também penso demasiado, questiono-me mais do que devia... "invejando" um pouco aquelas pessoas que levam a vida sem grandes reflexões... que aceitam, passivamente, o que têm e vivem as suas vidas. Ponto.

Infelizmente ou felizmente, não sou assim... penso muito acerca do sentido da vida, sobre o que estamos cá a fazer, qual a nossa verdadeira missão, sobre os obstáculos que a vida nos impõe, sobre os porquês desses obstáculos... enfim, um sem número de questões desfilam na minha cabeça...

Sei que, provavelmente, o melhor seria eu aceitar a vida tal como ela é, não me questionar demasiado sobre questões existenciais e ir vivendo o decorrer dos acontecimentos... mas, a minha alma inquieta não sossega, porque quero acreditar que cada um de nós tem algo a acrescentar a este mundo... 

A vida tem de ser mais do que trabalhar-casar-ter filhos, porque quando nos vemos despojado de uma dessas partes, a vida fica vazia e nada mais se espera de nós!

Desde pequenos que nos vendem a ideia de que o caminho a seguir é o de estudar-trabalhar-namorar-casar-ter filhos. É isso que TODA a gente faz, e aquele que não o faz, rapidamente é alvo de comentários ou de epítetos.

Namoras. Quando casam?
Casas. Quando tens filhos?
Tens um filho. Quando tens o segundo?

A sociedade espera sempre algo de nós.. quer sempre mais... pressiona-nos para que sigamos esta linha de vida, que nos fazem acreditar ser a melhor...

Mas para quem perde o marido? Para quem fica despojada do amor da sua vida com um filho de dois anos nos braços? O que a sociedade espera de nós?

{Silêncio}

Pois, não se espera muito... encolhe-se os ombros... e espera-se que se consiga superar a perda, que consiga ser feliz, e que "viva para o filho". É isso. 

Há um conformismo que desejo quebrar... porque ainda me sinto muito isso. Muito "um dia de cada vez". Muito "presa" à rotina. Muito passiva perante a vida.

Tudo a seu tempo. Eu sei. Mas nunca perdendo a curiosidade pela vida. O desejo de se ser mais e melhor. A ânsia de se viver a vida de forma plena. 

Pinterest

2 comentários:

YogiHeart disse...

Comecei a ler este blog por acaso. Ainda à descoberta, vou concordando com o que escreve, identificando-me em descrições de alegria, partilha, orgulho e dor.
Agradeço o quanto me faz repensar a vida a cada post.
Agradeço todos os sorrisos e todas as lágrimas em frente ao ecrã...

Obrigada!

A Vida a Três disse...

Obrigada pelas suas palavras ♡