quarta-feira, 27 de junho de 2018

Força emocional*

A vida tem-me ensinado muitas coisas. Algumas da pior forma. Mas, vai me mostrando sempre que somos mais fortes do que aquilo que pensamos

Essa força emocional é das forças mais difíceis de se conseguir. Exige muito de nós. Exige que tenhamos a robustez emocional para nos (re)erguer sempre que a vida nos passar uma rasteira. 

É como ir ao ginásio e fazer uma série de exercícios para ficarmos mais saudáveis. A força emocional processa-se da mesma forma. Treinando-se  para se ser mais saudável emocionalmente. Ganharmos resistência às quedas, às "lesões". Para sairmos mais fortes e preparados para qualquer desafio. 

É um processo demorado. Que requer paciência, resiliência, controlo. É um processo de auto conhecimento. Uma forma de percebermos o que nos deixa mais confortável ou nos desassossega. 

Tem sido assim comigo. Vou procurando o meu caminho. O que me preenche. As pessoas que me iluminam os dias. Os lugares que me transmitem paz. 

Claro que nem sempre se consegue esta paz de espírito. Claro que a vida leva-nos a conviver com os chamados de "vampiros emocionais", que nos sugam energias com a sua negatividade e dramatismo. Claro que nem sempre é fácil lidar com isso, principalmente quanto mais próximo é o grau de parentesco.

Há uma certa dificuldade de afirmação, evitando conflitos. Um certo embaraço em dizer "Não!", "Chega!". E acabamos por nos anular em detrimento do outro. E vamos acumulando. Acumulando. E vão surgindo as crises de ansiedade, os choros descontroláveis, as mudanças de humor, as doenças psicossomáticas, as insónias. 

É nessa altura que devemos por um travão e parar para pensar no que estamos a fazer à nossa vida. Procurar encontrar dentro de nós aquela força emocional adormecida. Procurar ajuda profissional. Procurar conversar com amigos. O que for mais confortável, mas fazer qualquer coisa. 

Saber respirar fundo. Aceitar o que está a acontecer, e trabalhar para que seja ultrapassado. 

O importante é sempre acreditar. Acreditar em nós. Acreditar que somos mais fortes do que aquilo que aparentamos, do que aquilo que mostramos. Acreditar que um "Não", um "Chega" na hora certa pode ser o início de um novo "eu". De uma nova vida. De uma nova força emocional. Aquela força de vencer tudo aquilo ou aqueles que nos prendem as asas para voar. Bem alto. Acreditar. E ir à luta, que isso de ficar à espera que as coisas mudem, não resulta. Todas as grandes conquistas surgiram depois de grandes batalhas. 

O importante é não ter medo da mudança, porque "Mar calmo nunca fez bom marinheiro."

Sem comentários: