quinta-feira, 7 de junho de 2018

O pensamento*

Quem nunca se sentiu enclausurado no meio dos seus pensamentos. Pensamentos que nos consomem. Que nos maltratam. Pensamentos ruminantes. Que volta e meia, lá estão eles a condicionar a nossa vida.

Somos todos seres pensantes e, como tal, os pensamentos fazem parte da nossa vida. Do nosso dia a dia. Mas, como tudo, há pensamentos bons e pensamento maus. E estes últimos são tão difíceis de combater. É preciso um esforço hercúleo para os afugentar.

Sou muitas vezes {aliás, vezes demais} assolada por esses pensamentos ruminantes. Aqueles que, por vezes, até preciso de abanar a cabeça para os mandar embora. Mas, a verdade é que, este simples movimento, não os escorraça da minha mente. Infelizmente é preciso muito mais do que isso.

No livro que tenho estado a ler "A Equação da felicidade", o autor dedica um capítulo a "essa vozinha na [sua] cabeça". E mostra-nos que é efetivamente difícil livrarmo-nos dos pensamentos que nos incomodam. 

E a questão que se coloca é: Então como fazemos para aprender a lidar com isso?

O que o autor do livro sugere é a aceitação desse pensamento. Deixá-lo entrar na nossa mente. Aí permanecer uns tempos. Percebê-lo. Questionar a sua presença e a razão desse incómodo tão grande na nossa vida. Não numa tentativa de o resolver, mas sim de o perceber. 

Só depois desse trabalho mental {nem sempre fácil}, poderemos prosseguir a nossa vida, porque aprendemos a saber lidar com esse pensamento. E ao redefinir esse nosso pensamento, estamos também a redefinir a nossa emoção. Porque todo o pensamento gere uma emoção. Boa ou má. 

Há dias, falava disso com a A., sobre essa "tortura" que é "pensar". E o conselho dela foi exatemente o mesmo. "Aceita o pensamento. Dá-lhe um nome. E manda-o embora." 

Por vezes, é difícil mandá-lo embora. Ou porque estamos cansados. Ou porque estamos emocionalmente afetados e as forças escasseiam. Nessas situações, para além de respirar bem fundo que ajuda sempre, é importante domar o nosso cérebro. Obrigá-lo a pensar noutra coisa. Em algo que nos alegre. Que nos faça esquecer o outro pensamento. 

É estarmos ligados a nós. E quanto mais tempo estivermos focados no bom, no positivo, mais difícil será para o nosso cérebro mudar para o negativo. Até ao dia em que o positivo será o que ocupa mais espaço na nossa mente. É como ver o como meio cheio. Educa-se. Treina-se. 

Quanto menos reclamarmos ou nos queixarmos, mais a vida nos parecerá melhor.

É um treino diário. Como ir ao ginásio. Como almoçar. É algo que tem de passar a fazer parte da nossa vida. Para a tornar cada vez melhor.

Pensemos nisso. A vida torna-se tão mais leve. 

Pinterest

Sem comentários: