quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Fé*

Há dias, falava com a minha Su* sobre a . Conversávamos sobre a importância da fé na nossa vida e de como está pode ser abalada perante as dificuldades que encontramos.

Nem de propósito, neste mesmo dia, descobri um livro "Conversando com Deus" e fui lendo, inicialmente por curiosidade, depois com mais entusiasmo por sentir que, de certa forma, aquele diálogo, embora imaginário, me foi trazendo algum alento.

Temos muito o hábito de culpar a vida, o mundo, Deus pelas nossas infelicidades. É um escape que vamos criando para nos ajudar a suportar melhor a nossa dor. Durante uns tempos, foi assim que também me fui protegendo da minha dor. Sentia-me abandonada. Sentia que não merecia. Senti a minha fé abalada.

Com o tempo, fui percebendo que, os acontecimentos da vida não podem ser encarados dessa forma. Vai-nos corroendo a cada dia que passa. Vai criando em nós um abismo cada vez maior com a nossa crença, a nossa fé. E, acima de tudo, não responde às nossas aflições e nem resolve a nossa dor.

Mas, até conseguir chegar a essa clareza de espírito, existe um longo processo pela frente. É preciso discernimento. Paciência. E, sobretudo, é preciso fé. Curiosamente, a mesma que nos levou a duvidar outrora da sua existência.

Sei que ainda não estou totalmente em sintonia com a minha crença, mas sinto que já não estou "chateada" com Ele. Aprendi a saber aceitar as vicissitudes da vida. A queixar-me menos, e sobretudo, a ser grata pelo tenho. Sempre grata pelo que tenho... e pelo que tive. Sempre

1 comentário:

Su disse...

Que as nossas segundas feiras sejam sempre assim, especias! Sempre tao cheias de cumplicidade e partilha! Eu cresço contigo, nós crescemos juntas e todos os dias fico grata de estares presente na minha vida! Minha Ju! ❤